Busca por Código

 

065 999664041

<<< Voltar

Fazenda - Rural

Código: 717

Valor de Venda: Saca(s) de Soja/ha 80 Saca(s) de Soja/ha

Endereço: Gleba Duas Barras - Sapezal - MT
Número:
Bairro: Fazenda
Cep: 78365-000
Cidade: SAPEZAL-MT

Descrição do Imóvel


TIPOLOGIA FLORESTAL

Abertura de área possível 50 % (Cinquenta por cento), conforme estudo da tipologia feita pelo proprietário.
O Bioma é cerrado e floresta, conforme Análise de Tipologia Vegetal emitido pela SEMA em outubro de 2.007.
O proprietário tem licença para abrir em torno de 50,00 % (cinquenta por cento), dos quais já abri 600 ha, que foram plantados em eucalipto e cortados e finalizado o corte em dezembro de 2.016.

13. CALCULO DE LENHA:

Madeireira da região faz projeto de manejo por conta dela e compra a madeira em pé.
Dois levantamentos feitos na fazenda, o primeiro há cerca de 04 anos e o segundo recentemente nos informam que a Fazenda Água Cristalina possui em torno de 100.000,00 m³ de madeira.
Madeiras existentes na fazenda: Gaxeta - Champanhe – Garapeira - Cumbarú - Itaúba - Fel de Paca - Angelim Pedra- Angelim Saia - Morcegueira (Mescla) - Peróbas (várias) - Cedro, Cedrinho – Canelão, etc.
Tem uma empresa na região que derruba, enleira a cada 50m, queima e passa um ferro de grade. Dependendo do acerto pode até passar o calcário. Isso a um custo em torno de R$ 2.000,00 /hectare. (Dois mil reais/hectare).
Em 5.000 ha x R$ 2.000/ha temos R$ 10.000.000,00 (Dez milhões de reais). Sobram ainda R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais ) para o calcário, etc.
Resumindo: Com a venda da madeira, o comprador paga a abertura da fazenda. Pode arrendar com facilidade a área aberta e calcareada, se ele não quiser plantar.
A fazenda estando aberta e plantando, será valorizada, triplicando o seu valor, sem custo de abertura, num prazo em torno de 02 a 04 anos. É um excelente negócio.
A Imagem de satélite de 05/2018 é a mais recente.
Sabe-se que o Mato Grosso foi aberto queimando toda a sua lenha do cerrado. Hoje temos uma outra realidade. Temos quem compre a lenha, ou seja, temos uma receita e, além disso, deixamos de queimar a vegetação, o que ocasionará um empobrecimento do solo, que é sem dúvida o maior prejuízo.
Temos na região duas usinas de açúcar e álcool de cana e que já fazem álcool de milho. Elas utilizam lenha, pois o milho exige um teor calórico mais alto do que a cana que resolve só com o bagaço o mercado se abriu.
Elas (USINAS) colocam a lenha numa “cavaqueira”, transformando em cavaco e queimando. Mais fácil e melhor ainda para as usinas, é entregar o cavaco para elas.
São a USIMAT (240 km da fazenda), em Campos de Júlio e a LIBRA (400 km da fazenda), em Diamantino. As tradings também já estão começando a usar cavaco para secar os grãos.
Em Campo Novo do Parecis ( 180 Km da fazenda), tem a COPRODIA que produz açúcar e álcool de cana. Até dezembro de 2019 inaugurará sua USINA, produzindo também álcool de milho.
Mais duas indústrias de álcool de milho estão previstas para se instalarem em Campo Novo. Também mais uma em Deciolândia, distrito de Diamantino e município vizinho de Campo Novo.
Tem também as siderúrgicas de Minas Gerais que levavam o carvão para transformar o ferro em ferrogusa, hoje levam cavaco para lá.
A Análise da tipologia da área feita pela SEMA/MT- Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Mato Grosso, realizada na Fazenda Água Cristalina de 10.459,0165 hectares, diz que a fazenda pode ser “aberta” em torno de 50%, ou seja, acima dos 5.229,5058 hectares. Considerando-se que a APP- Área de Preservação Permanente, de acordo com o novo Código Florestal, está inclusa na ARL-Área de Reserva Legal, temos então: os 50 km de Rio que possui, x 100,00 m = 500,00 hectares, ou seja, só ai acarreta um aumento para 55 % de abertura da área total (5.729,5082 m³ de lenha, além de ter também madeira.
Em 2018, uma madeireira da região, (a que fez o segundo levantamento ) demonstrou interesse pela madeira. Disse que fica com toda a madeira e paga 150,00 R$ /m³ pela madeira em pé. Assume também os custos dos projetos de Manejo. Nesse caso tem-se uma receita de R$ 15.000.000,00 (quinze milhões de reais).
Considerando a venda da lenha R$ 200,00 m³, teria uma receita de R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais.)
Hoje, a lenha nativa custa em torno de R$ 80,00 R$/m³. Se sobrar R$ 30,00 R$/m³, tem-se uma receita de R$ 30.000.000,00 com a venda da lenha.
Na área de Reserva Legal, pode-se fazer um Manejo Florestal e retirar e comercializar toda a madeira existente. Uma equipe esteve na /Fazenda no mês de novembro (2014) passado fazendo um levantamento (tipo de madeira e volumetria) e chegou a um número em torno de 100.000 m³.
Se calcularmos no mínimo 150,00 R$/m³, será mais R$ 15.000.000.00, totalizando R$ 45.000.000,00.
Em outras palavras, a fazenda tem um ótimo início em termos de exploração, ou seja, receita a curto e médio prazo.

Receita da venda de madeira de lei
Volume de madeira estimado = 100.000,00 m³?
Preço do m³ da madeira de lei = 150,00 R$/m³
R$ 150,00/m³ x 100.000,00 m³ = R$ 15.000.000,00.

Receita da venda da Lenha:
Madeira de lenha disponível em 5.000,00 hectares = (30 milhões de reais)
Quantidade de volume por hectare = 200,00 m³/hectare
Receita líquida na venda por m³ = 30,00 R$/m³
Receita líquida da venda da lenha por hectare é de R$ 6.000,00 R$/hectare
Valor da receita líquida em 5.000,00 hectares
5.000,00 hectares x 6.000,00 R$/hectare = R$ 30.000.000,00.

Resumo da venda da lenha e madeira:
Venda da madeira: R$ 15.000.000,00
Venda da lenha: R$ 30.000.000,00
Total..............................R$ 45,000,000,00


14. POTENCIALIDADES

Turísticas – Por apresentar confrontação de cerca de 50 km de Rios o potencial turístico para a Fazenda no Lote 30 na confluência dos Rios Papagaio e Sapezal coma construção de um Hotel Fazenda Resort. Explorando pesca nos próximos 50 km a jusante onde se encontra a confluência do Rio Papagaio com o Rio Juruena.


15. APTIDÃO DA FAZENDA:
Agricultura: soja e milho
Pecuária - Integração com Agricultura.
Reflorestamento - plantio de eucalipto.
Turismo – Obs. Construção de um Resort no encontro dos Rios Sapezal e Papagaio.

Características do Imóvel


Aptidão da fazenda: Pecuária, reflorestamento, lazer, turismo ruralÁrea da fazenda (hectare): 10459
Área de cultivo argiloso (ha): Completa para as atividades da fazendaÁrea de mato (hectare): 9857
Área de reflorestamento (hectare): 600Distância do asfalto (km): 40
Distancia do centro urbano (km): 140Documentação: Completa
Georreferenciamento: SimProximidades: Culturas anuais e pecuária
Situação: Muito boa, próximo ao asfalto e rios que confrontam com a fazendaSolos: 03 classes de solos, predominância arenoso
Topografia: Plana e levemente onduladaUso atual: Reflorestamento
Valor da fazenda em sacos: 840.000,00 sacos de sojaValor da fazenda por hectare em sacos: 80,00 sacos de soja por hectare

Localização do Imóvel